Os Influenciadores Digitais como Estratégia de Relacionamento entre Marcas e suas Seguidoras na Maternidade – Parte 1

Para o seu trabalho de conclusão do curso de graduação de Relações Públicas, a nossa Gerente de Estratégia, Priscila Abreu (a Pri), buscou responder sobre a influência dos produtores digitais na construção da identidade materna. Os influenciadores digitais são importantes meios de aproximação das marcas com o seu público, e o resultado dessa pesquisa trouxe insights bem interessantes sobre essa relação em uma fase tão especial que é a maternidade.

É tanta coisa legal para compartilhar sobre essa pesquisa desenvolvida pela Pri, que resolvemos fazer uma série especial de posts. E hoje, nós vamos introduzir o assunto. Vamos lá?

Os fenômenos da cibercultura nos intriga a cada momento, porém, precisamos ir além da tecnologia, e analisar como a comunicação está sendo mediada pelas novas mídias atualmente.

 Devemos observar toda a diferença que ela causa nas ações, e mais, investigar como as organizações, produtores e usuários lidam com essa nova lógica de construir as relações em rede na Internet, evitando o deslumbre pelo novo, mas sim uma reflexão verdadeira.

Na década passada, muito foi falado sobre a terra prometida na cibercultura, considerando a democratização dos meios de comunicação, porém, agora que elas foram de fato popularizadas, precisamos entender se a produção digital independente transformou a forma de consumir conteúdo, e observar se o cenário de mídia e as inter-relações entre todos os atores envolvidos foram de fato impactados.

Porém, em meio a tantos movimentos que a comunicação está passando em função da liberdade conquistada através da expressão e colaboração produtiva, é importante analisarmos como alguns públicos estão se relacionando com essa nova lógica, e como esse movimento, pode transformar antigas formas de se relacionar, e buscar respostas para questões que sempre existiram na vida humana, mas que nem sempre foram potencializadas, ou corretamente conectadas pela falta de proximidade, tempo e encontrabilidade dos interessados.

Sendo assim, percebemos que, o momento mais importante na vida de todos nós, independentemente do sexo, classe ou região do mundo, merecia atenção para essa nova forma de consumir informações, e percebemos que na maternidade, a qualidade de ser mãe, é um importante ciclo não só na vida da mulher, mas de toda a humanidade, e precisa ser analisada através dessas novas interações.

Além disso, verificar de que forma o laço que liga mãe aos filhos pode ser impactada através de novos conhecimentos que a rede oferece, e de novos influenciadores que interagem com a mulher nesse momento tão aguardado de sua vida, cheio de expectativas e intensidade, e de muitas dúvidas acerca de tudo que envolve esse novo integrante da família.

Portanto, mediante a todas essas questões, precisamos compreender como as marcas estão utilizando essa colaboração em redes sociais na Internet, para desenvolver causas ou campanhas sedutoras como forma de relacionar-se com as consumidoras e não serem mais vistas apenas como poluição visual, ou como intromissão não solicitada entre o conteúdo que estava sendo lido ou assistido, por recomendações através de influenciadores digitais. 

Para entender como os influenciadores digitais no ciberespaço podem ser uma forma das marcas se relacionarem com as consumidoras na maternidade, justifica-se mais pesquisas que expliquem esse vínculo, o que contribuirá para área da comunicação, visto que este é uma indústria midiática que está em constante evolução, porém possui diversas opiniões.

Neste sentido a pesquisa estuda os influenciadores digitais como estratégia de relacionamento entre marcas e suas seguidoras na maternidade, tendo como questionamento “qual a influência desses produtores digitais na (re) construção da identidade materna?”

Dentro desta perspectiva, buscamos compreender a relação dos influenciadores digitais pesquisados na consolidação da imagem e reputação de uma marca perante seus seguidores na maternidade. A partir disso, definimos analisar a relação entre os influenciadores digitais pesquisados e suas seguidoras; identificar a influência exercida pelos influenciadores digitais na decisão de consumo de suas seguidoras; verificar as parcerias comerciais/produtos no conteúdo compartilhado.

A principal motivação da Pri para a realização dessa pesquisa foi do seu dia-a-dia aqui na E21, principalmente pelo impacto, percebido por ela, que esse universo midiático cria pela influência de pessoas comuns como nós.  Essas pessoas o conquistaram gerando conteúdo em redes sociais, participando ativamente no comportamento de consumo, criando os seus filhos e movimentando uma transformação do papel feminino na maternidade, através da conversa com outras mães, seguidoras.

A Priscila também destaca que é evidente o poder de persuasão que reforça a característica de influenciadores digitais, o que chama a atenção de marcas que querem construir um relacionamento com esse público de mulheres que dão credibilidade às indicações dessas pessoas comuns, mas que também possuem a habilidade e disponibilidade de compartilharem suas experiências para milhares de outras que estão vivenciando o mesmo momento de vida.

Com essa introdução, já deu para perceber que o tema é riquíssimo e leva a uma boa discussão. Na próxima publicação, nós vamos trazer os dados de resultados da pesquisa.  Enquanto isso, te convidamos a conversar conosco sobre o assunto, deixando o seu comentário. E não esqueça de acompanhar os próximos posts sobre o assunto, aguarde!