Os 10 princípios da Comunicação Integrada, pela About

A revista About traz uma matéria bem interessante que mostra uma das formas de alinhar a comunicação do cliente, observando alguns critérios para se montar um plano de Comunicação Integrada. Após vários estudos sobre quais são esses itens básicos para faze-lo, membros da Associação Brasileira de Anunciantes decidiram, em 2012, criar o Comitê de Integração, Gestão, Processos e Inovação da Comunicação de Marketing. Hoje, então, temos definidos os dez princípios da Integração, que norteiam uma forma de colocar em prática essa atividade que faz cada vez mais parte do dia a dia do profissional de marketing.


Os 10 princípios:


– Entenda o papel da marca no seu negócio e no seu mercado, bem como a contribuição dela para o valor do negócio, assim como suas fortalezas e fraquezas. Defina ou realinhe o que a empresa considera que é comunicação para essa marca.

– Conheça os seus clientes (compradores e consumidores), influenciadores, colaboradores, trade e stakeholders em geral. Entenda como eles escolhem, compram, recomendam, vendem, ajudam, atrapalham a marca. Quem são os maiores críticos versus os melhores advogados? Desenvolva uma estratégia para se conectar com essas audiências e uma governança na definição de conteúdos-chave, que assegurem consistência no posicionamento e nas mensagens.

– Coloque-se no lugar dos seus clientes. A relação deve ser leal e a mensagem, crível e transparente. Além disto, pergunte-se o que tem relevância para cada grupo deles? Lembre-se de que grandes ideias derivam da necessidade, da demanda e da estratégia da companhia, negócio ou marca.

– Segmente as mídias e compreenda seu papel específico em relação a cada segmento de clientes. Lembrando que o consumidor, hoje, também é mídia. Avalie os riscos dessa forma de comunicação para a reputação da (s) sua (s) marca (s) e da empresa, pois o reconhecimento é público, compartilhado e editado pelo cliente/ consumidor. Como todos os públicos da marca são (ou serão) multicanal e multitarefa, não tendo mais sentido a comunicação através de uma única mídia.

– Concentre e alinhe os esforços, determine a alocação ideal de recursos, os resultados esperados e como serão medidos. Monitore, aprenda, melhore… sempre.

– Estabeleça liderança clara do processo e seus níveis de decisão.Defina o papel e o escopo e cada decisor interno e externo (de agências, por exemplo). Decida e aprove rápido. Tempo também é variável de sucesso.

– Monte uma equipe multidisciplinar (combinando talentos e gerações) e desenvolva um modelo de relacionamento com parceiros e agências que multiplique suas possibilidades. Estabeleça um processo de gestão que assegure a integração nos diversos meios e o estímulo de sinergias.

– Garanta a excelência da execução da ideia (planejar, executar, medir, aprimorar), que deve ser forte (grandes ideias definem proposições de valores exclusivas e comunicar sempre do mesmo jeito pode ser desperdício dos recursos). Acima de tudo, seja relevante e pertinente.

– Não pense em campanhas, mas sim em projetos de comunicação, seu desenvolvimento e seus resultados. Planeje, comece e termine cada projeto, medindo seus defeitos durante e depois, de forma a gerar inteligência de forma contínua, pela avaliação dos acertos e, principalmente, dos erros.

– Nunca fique satisfeito. A comunicação integrada de marketing é um processo orgânico e sempre será possível melhorar alguma coisa.

Leia a matéria completa: http://goo.gl/a2OWUn