riptropin
 

Lançamento “esmagador” da BASF tem assinatura da e21

campanha_regent_duo

A mais recente campanha da e21 Multicomunicação para a BASF, marca o lançamento do produto Regent Duo. Com foco na mídia impressa, a campanha traz a imagem da dupla ação esmagadora do inseticida contra a larva e o inseto-praga Sphenophorus, das lavouras de cana-de-açúcar.

A ilustração tem a assinatura do estúdio Fescher Neoilustração e, pelo formato em página dupla, a dobra da revista parece “esmagar” o inseto. O anúncio contempla a representação da larva e do besouro do Sphenophorus no estilo hiper-realista, marca registrada da comunicação da BASF Agro.

Ficha Técnica

Cliente: BASF Agro
Produto: Inseticida Regent Duo
Diretor de criação: Ricardo Bottega
Gerente de criação: Eduardo Harthmann
Direção de Atendimento: Alberto Meneghetti
Gerente de Atendimento: Luciane Martins
Diretor de arte: Vinícius Maia
Atendimento: Camila Cunha
Redator: Lucas Kircher
Ilustração: Fescher Neoilustração
Produtor gráfico: Alessandra Bastos
Mídia: Priscila Abreu

Deixe seu palpite   


e21 é destaque na Rádio Bandeirantes

card_radio_band

O diretor presidente da e21, Luciano Vignoli, foi o entrevistado do programa Alma dos Negócios, da Rádio Bandeirantes. À apresentadora Ana Cassia Hennrich, Vignoli fez uma retrospectiva sobre os principais projetos da e21 no primeiro trimestre do ano, além de traçar perspectivas para o decorrer de 2014.

Durante a entrevista, Vignoli destacou a alta produção da agência, com 13 campanhas lançadas apenas no mês de março. Reveja a entrevista, na íntegra:

Entrevista – Parte 1

Entrevista – Parte 2

Deixe seu palpite   


e21 cria para a Convenção 2014 da BASF Agro Brasil

card_convencao_basf

A e21, agência de publicidade e propaganda do Grupo MTCom, concluiu mais um trabalho para a BASF Agro Brasil. Dessa vez, para a Convenção 2014 da companhia, que ocorreu entre os dias 24 e 27 de março, na cidade de Foz do Iguaçu (PR). Em parceria com a ZAP Produtora e Radioativa, a agência produziu os 16 vídeos apresentados nos quatro dias de Convenção.

Em alusão ao conceito “Seleção Agro – Deixe a sua marca no Campo”, os vídeos apresentados fizeram um chamado à equipe de funcionários da Basf Agro para os desafios que 2014 reserva. Além dos vídeos, a e21 também foi responsável pela criação do book Casos de Sucesso. Este material foi especialmente preparado para o evento que premia os melhores projetos desenvolvidos por funcionários da BASF e que impactam positivamente no mercado agro.

A Convenção reuniu cerca de 500 profissionais para apresentar o alinhamento estratégico e as metas comerciais da BASF Agro para 2014. Grandes personalidades abrilhantarem ainda mais o evento. A palestra de abertura da convenção foi ministrada pelo atual técnico da seleção brasileira de futebol, Luiz Felipe Scolari. O encerramento ficou por conta da dupla Victor e Leo, em show realizado na Usina Hidrelética de Itaipu.

Deixe seu palpite   


Artigo: O rolezinho como força política

lucianoTalvez, se fizéssemos rolezinhos organizados, todos nós, num shopping, um uníssono, pudéssemos protestar:

“Sem reprimir!Eu só quero consumir!”

Pô, Dona Dilma (e seus quetais):

Nós só queremos consumir…

Por que tenho que pagar o Big-Mac mais caro do mundo?

Por que tenho que pagar o Playstation mais caro do mundo?

Por que tenho que pagar o metro quadrado de imóveis mais caro do mundo?

Por que tenho que pagar a internet mais cara do mundo? (e ruim, a desgraçada…)

Por que tenho que pagar R$ 6.000,00por uma TV 60 polegadas se nos Estados Unidos a mesma TV sai por 999 dólares (R$ 2.500,00, num câmbio já com I.O.F.).

Por que tenho que pagar R$ 60,00 por uma caixa de Aspirina com 40 comprimidos quando na Argentina (na Argentina, pessoal), isto sai por R$ 20,00?

Por que tenho que pagar R$ 150.000,00 por uma SUV Volvo, se nos Estados Unidos ela custa 25 mil dólares (R$ 67.500,00)?

Hoje, toda a mídia se pergunta:

Tá certo isto?

Qual o motivo de tamanha disparidade?

Dizem os especialistas:

“Nossa carga tributária é muito pesada em cima do consumo, do produto final. Se você for comprar uma tesoura, por exemplo, o preço vai embutir IPI, ICMS, os pesados impostos sobre folha de pagamento, sobre o lucro, PIS e Cofins. Ou seja, o preço é alto porque a tributação é muito alta. No Brasil, os impostos incidem em efeito cascata. Quando você vai comprar a tesoura, há tributação embutida desde a produção do aço, da liga e daí para frente. Isso vai sendo repassado da indústria até chegar em você. Todos da cadeia produtiva colocam tributação em cima do preço. É a cumulatividade. Isso não existe no exterior, lá só se tributa o valor agregado, ou seja, quem fez a liga, paga pela liga. No Brasil, na maior parte das vezes, isso não acontece, vai acumulando.”(Presidente do IBPT, João Eloi Olenike, para a revista Superinteressante).

O fato é que deveríamos fazer mais rolezinhos.

Buscar força em nossa exploração ridícula por uma estrutura de poder apodrecida e canalha.

Sair da letargia e reagir.

Provavelmente, os rolezinhos, este ano, não morrerão.

Vão se transformar em movimentos de protesto – tomara ordeiros – em direção a uma modificação estrutural ainda não muito clara, certamente difusa, até porque fica difícil explicar fundamentos de macroeconomia à nossa periferia reclamante.

Mas, estes protestos, tenham eles a dimensão que quiserem dar, desde brasileiros entupindo-se de tralhas na Flórida e escancarando nossa falta de competitividade; passando por rolezinhos dizendo que eles também têm direito ao Big-Mac (mesmo o mais caro do mundo) e ao ar-condicionado e banheiro de mármore com sabonetinho líquido do shopping; chegando aos movimentos de rua e sua energia dispersa, ainda, todos trazem em si o germe da inconformidade e da mudança.

E é, graças a ele, que a humanidade avança.

Tomara que aconteça conosco.

* Por Luciano Vignoli, Diretor-Presidente da e21.

Artigo escrito por Luciano Vignoli, sócio-diretor corporativo do Grupo MTCom e diretor-presidente e de planejamento da e21, publicado em sua coluna no Portal Adonline.

Artigo escrito por Luciano Vignoli, sócio-diretor corporativo do Grupo MTCom e diretor-presidente e de planejamento da e21, publicado em sua coluna no Portal Adonline.

 

Deixe seu palpite   


e21 apresenta a campanha “Uma História em cada Mesa” para a Basilar

outdoor_1

A Basilar é a marca de massas líder em vendas no interior de São Paulo e, com toda sua tradição e qualidade, é a verdadeira parceira da consumidora na hora das refeições. A fim de acompanhar constantemente a evolução dos consumidores e do mercado, a marca se moderniza, assumindo nova identidade visual no ano em que comemora 50 anos de história, além de lançar a campanha “Uma história em cada mesa”, que estreou no dia 23 de março.

Assinada pela e21, agência de publicidade e propaganda do Grupo MTCom, a campanha incentiva o compartilhamento e o reconhecimento de histórias em um momento único de reunião, celebração e troca de experiências: as refeições. É em torno da mesa que diversas histórias são compartilhadas e são nesses momentos que Basilar está sempre presente.

Para chegar a este conceito, diversas áreas da e21 foram acionadas e tiveram atuação decisiva na elaboração de todo o escopo do projeto. O Núcleo de Pesquisa, por exemplo, visitou a diversas famílias com o exato perfil do target Basilar no horário do almoço. O objetivo foi realizar uma imersão na vida do consumidor e observar como o momento da refeição é vivenciado pelos integrantes do núcleo familiar. Profissionais de Mídia da agência, por sua vez, visitaram pessoalmente algumas das praças com forte atuação da Basilar em busca de ações microrregionais diferenciadas para a divulgação da campanha.

O projeto atuará em múltiplas plataformas de comunicação, desde ações de endomarketing, passando pela comunicação visual dos PDVs, TV aberta, ações em rádios e mídia exterior.

Para a TV, além de ações de merchandising em programas locais no SBT e na Band, foram produzidos dois filmes de 15 segundos, que estão sendo veiculados nas redes afiliadas da Rede Globo no interior de São Paulo, onde são retratadas situações corriqueiras vividas pelas famílias no momento das refeições.

Outros dois vídeos foram produzidos para veiculação no canal do YouTube e Facebook da marca. Além disso, foi criado um perfil no Instagram, com a postagem de fotos e vídeos que divulgam a linha de produtos Basilar. Toda a estratégia e execução da plataforma digital da marca está sendo conduzida pela e21 Digital.

A mídia exterior foi trabalhada nas praças de Bauru, Campinas e Ribeirão Preto, que receberam empenas, front-lights e outdoors. Blitz e testemunhais nas principias rádios fecham o rol de ações contempladas pela campanha.

Sobre a Basilar

Líder em vendas no interior de São Paulo, a Basilar completa 50 anos em 2014. A marca de massas pertence ao portfólio da M.Dias Branco S.A Indústria e Comércio de Alimentos, companhia listada no Novo Mercado da BM&FBovespa sediada em Eusébio (CE). A M.Dias Branco produz e comercializa biscoitos, massas, farinha e farelo de trigo, margarinas e gorduras vegetais, snacks e bolos. É líder de mercado em biscoitos e massas no Brasil e é a sexta em massas e a sétima em biscoitos no ranking global por faturamento. Suas operações geram mais de 16 mil empregos diretos em diferentes regiões, refletindo o seu compromisso com fatores importantes para o desenvolvimento econômico e social do país.

FICHA TÉCNICA

Agência: e21
Agência Digital: e21 Digital
Anunciante: Basilar – Grupo M. Dias Branco
Título: Histórias
Criação: Luciano Ferretto e Vanessa Roeder
Direção Geral de Criação: Cado Bottega
Atendimento: Marcelo Machado
Diretora de Atendimento: Mara Bussolin
Diretor de Planejamento: Luciano Vignoli
Planejamento: Eduardo Meurer, Alexandre Laybauer, Kesi Medeiros e Bernardo Rosa
Mídia: Daniela Poersch, Priscila Abreu, Larissa Bittencourt
Executivo de Contas Digital: Gabriel Guimarães Rymsza
Analista de Mídias Sociais: Thais da Silva
RTV: Carla Bildhauer
Produtora: Black Maria
Direção do filme: Gabriel Rubim
Atendimento Produtora: Marta Koertz
Produtora de áudio: Radio Ativa
Atendimento Produtora de áudio: Carina Donida
Fotógrafo: Tiago Peraça (Mythos)
Aprovação Cliente: Eliana Lopes, Marisa Palhares e Mayara Cantisani

Deixe seu palpite   


e21 cria para a Dow no Dia Mundial da Água

card_agua_2

Como provedora global de soluções para tratamento e purificação de água, a Dow Brasil não poderia deixar passar em branco uma importante data do calendário para quem se preocupa com o futuro das próximas gerações: o Dia Mundial da Água.

A Dow celebrou o 22 de março destacando suas soluções inovadoras para o tratamento da água e da importância deste recurso natural indispensável à vida. O conceito da campanha e as peças criadas foram especialmente desenvolvidos pela e21.

A campanha se processou em três fases distintas: teaser, cases que traziam as tecnologias e a celebração do dia mundial da água, propriamente dito. Uma gota d’água foi o principal elemento gráfico utilizado. A comunicação foi feita por meio de envio de e-mail marketing para o público interno e para os clientes da Dow Water & Process Solutions, publicação de cards na página da Dow Brasil no Facebook e o envio de um brinde para os jornalistas a fim de divulgar a ação junto à imprensa.

O teaser da campanha chamou o público a refletir: “O que existe por trás de cada gota?”. Assim, a cada dia da semana que antecedeu a data, foram publicadas peças que respondiam a esse questionamento, através do conceito ““Muito além de tecnologia por trás de gota” e também com mensagem como “por trás de uma gota tem milhares de vida”.

Imagens também reforçaram a importância da preservação deste importante recurso para a existência humana. A campanha resultou em grande envolvimento nas redes sociais da Dow e apoio do público interno a mais esta iniciativa da empresa.

Deixe seu palpite   


Caderno Marcas de Quem Decide traz artigo assinado pelo diretor-presidente da e21

O Caderno Marcas de Quem Decide, do Jornal do Comércio, traz artigo assinado pelo  diretor-presidente da e21, Luciano Busato Vignoli.

No texto, Vignoli retoma o conceito de “modernidade líquida”, cunhado pelo filósofo Zygmunt Bauman, e  convida os leitores à reflexão sobre o momento de profunda transformação no branding.

Clique para acessar o artigo em tamanho ampliado:

artigo_luciano_jpg

Deixe seu palpite   


Artigo: O rolezinho como força econômica

lucianoBastou emprego para todo mundo para que o país andasse para frente. Foi nisto que o governo (sic!) apostou e, num primeiro momento, deu certo.

Como falei no post anterior, nunca antes na história deste país (sic!) se comprou tantas geladeiras, celulares, fogões, radinhos de pilha, microondas, aparelhos de som, ferros elétricos, televisões, DVDs, computadores, colchões tipo box, lavadoras de roupas, antenas parabólicas, automóveis, motocicletas, roupas, iogurtes, refrigerantes, salgadinhos, biscoitos recheados, enfim…

Com emprego, houve a inclusão de dezenas de milhões de consumidores no mercado, e o país saiu da letargia econômica.

Pronto?

Tudo resolvido?

Somos, então um país rico?

Nã-nã-nã-nã-ni-na-nã…

Educação caindo pelas tabelas, com índices de aproveitamento e aprendizados envergonhantes.

Saúde, cruelmente ridícula, humilhando a população sob a forma de tratamentos aviltantes.

Segurança em padrões de guerra civil.

Nosso novo pessoal de classe média, a famosa classe C, agora quer mais. Chega de bolacha. Chega de iogurte de morango. Chega de TV.

Já tenho. Já comi. Já provei. Quero dignidade, agora.

Quero estradas decentes. Quero ruas decentes. Quero transporte coletivo legal, limpo, efetivo, rápido. Quero infraestrutura. Quero hospitais limpos. Disponíveis. Quero atendimento qualificado. Quero universidades em padrões mundiais. Quero poder sair de casa de manhã e saber que encontrarei minha casa intacta, à noite. E ter a certeza de que regressarei íntegro para casa.

Quero mais e quero já.

Dignidade…

É pedir muito?

Enquanto isto, nosso governo (sic!) arrecada como nunca, desperdiça como sempre e cede à corrupção como se fosse isto normal.

E o país não anda.

Saímos às ruas para protestar, meio que atabalhoadamente, meio que sem ter certeza do alvo, da reinvindicação, mas, pô, estamos de saco cheio de tanta incompetência organizativa.

Já com a gurizada de periferia, a do rolezinho, também aconteceu isto. Depois de fazer cursos de informática e de inglês, depois de frequentar camelôs atrás de marcas genéricas, nosso novo pessoal de classe média, a famosa classe C, agora quer mais:

Singelamente, quer ir ao shopping.Consumir. Se divertir.

E seria bom que o fizesse, pois eles são nosso futuro de mercado em potencial.

São eles que podem dar volume e sustentação às marcas. São eles que podem lotar no futuro as centenas de shoppings que estão sendo construídos.

São eles que ainda não têm grana ou discernimento pra ir à Flórida e se esbaldar.

Confrontadas nos rolezinhos, marcas e sociedade se apavoram…

Reagem.

Não, não e não…

No pasarán!

Isto não é pra vocês.

Este espaço é nosso!

Estas marcas são nossas!

Mas, acho, graças a este povo que quer consumir as marcas que têm vergonha deles é que o país vai mudar.

Para melhor.

* Por Luciano Vignoli, Diretor-Presidente da e21.

Artigo escrito por Luciano Vignoli, sócio-diretor corporativo do Grupo MTCom e diretor-presidente e de planejamento da e21, publicado em sua coluna no Portal Adonline.

Artigo escrito por Luciano Vignoli, sócio-diretor corporativo do Grupo MTCom e diretor-presidente e de planejamento da e21, publicado em sua coluna no Portal Adonline.

Deixe seu palpite